OAB-AM se reúne com Banco do Brasil para orientar advogados na emissão de alvarás eletrônicos em até 48h

71

A Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Amazonas (OAB-AM), esteve nesta quinta-feira, dia 03 de agosto, reunindo com representantes do Banco do Brasil para informar os advogados do Amazonas que agora é possível emitir um alvará eletrônico em até 48h. A novidade veio após o Banco do Brasil firmar uma parceria com o Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região (TRT11) que irá realizar depósito eletrônico. A reunião aconteceu na sede da OAB-AM, localizada na Avenida Umberto Calderaro filho, no bairro Adrianópolis.

De acordo com o presidente da Seccional, Jean Cleuter Mendonça, a OAB irá apoiar o Banco do Brasil, no sentido de orientar e incentivar a advocacia amazonense na utilização do novo serviço para terem um atendimento mais ágil nas emissões de alvarás.

“A nossa gestão busca sempre melhorar os serviços e atendimentos em prol da advocacia amazonense, e com essa nova forma eletrônica de alvarás será bem mais rápida a emissão. E agora, estaremos orientando e incentivando a advocacia para quando forem as varas pedirem que seja utilizado via alvará eletrônico por conta dessa agilidade e dessa velocidade no pagamento”, informou Jean.

A gerente de relacionamento do Banco do Brasil, no escritório setor público Amazonas, Karol Dantas, explica qual a vantagem da emissão de alvará eletrônico.

“Muita gente chama essa mudança de interligação dos alvarás. Então, isso faz com que quem usa as varas que estão utilizando essa interligação agilize o processo do pagamento dos resgates dos alvarás em até 48 horas, antigamente era de forma manual, o advogado teria que comparecer ao banco munido do alvará judicial, o banco encaminhava para o setor interno para poder fazer toda a parte operacional, isso demorava até 15 dias”, disse Karol.

Estiveram presentes também na reunião a co-presidente da OAB-AM, Denize Aufiero, o tesoureiro da OAB-AM, Sérgio Cruz, e o gerente de negócios do escritório Setor Público do Banco do Brasil, Rodrigo Felipe.

Artigo anteriorOAB-AM acompanha caso de advogado assassinado na zona sul de Manaus
Próximo artigoEm parceria inédita com a ACLJA, OAB-AM vai oferecer cursos e palestras aos advogados