Saúde da Mulher, Crimes nas mídias sociais e Empoderamento foram temas debatido no “Seminário Mulheres e Direitos”

98

O seminário “Mulheres e Direitos”, promovido pela Comissão da Mulher Advogada, em parceria com a OAB Solidária e a Escola Superior de Advocacia do Amazonas – ESA/AM, trouxe discussões de grande relevância as mulheres advogadas e a sociedade em geral. A atividade que é alusiva ao “Outubro Rosa”, e tem por objetivo promover uma discussão ampla com a sociedade acerca dos direitos da mulher, e evento aconteceu nesta quarta-feira (18) na sede da OAB/AM.

Os temas abordados foram: Saúde da Mulher e Prevenção ao Câncer de Mama, Reflexões Jurídicas sobre crimes nas mídias sociais e Empoderamento: Uma vida com propósitos.

A presidente da Comissão da Mulher Advogada Gláucia Barbosa, essa iniciativa visa trazer informação sobre os direitos e a saúde das mulheres. “Sabemos que a sensibilização quanto aos assuntos que causam males a saúde da mulher, devem ser estendidos por todo o ano. A nossa comissão tem trabalhado para que as mulheres possam conhecer as causas do Câncer de Mama, assim como outras doenças que atingem o público feminino, bem como trazer o conhecimento acerca dos seus direitos”, disse.

Saúde da Mulher e Prevenção ao Câncer de Mama, foi o primeiro tema a ser tratado pela Gerente de Enfermagem da Maternidade Ana Braga, trouxe ao público o alerta as mulheres quanto ao diagnóstico do câncer de mama.

“Sabemos que o câncer de mana, ainda não pode ser totalmente prevenido, porém podemos diagnosticá-los com antecedência e por isso como enfermeira sempre alerto as mulheres que é necessário conhecer o seu corpo, bem como realizar o autoexame, ferramenta de extrema importância nesse diagnóstico e influencia diretamente no resultado da cura, quanto mais cedo se descobrir, mais cedo poderá curá-lo”, lembrou.

A jornalista e advogada, Dione Santana, falou sobre os crimes nas redes sociais e como proceder. “O que falamos hoje é que ofensas como: injúria, difamação e calúnia praticadas nas redes sociais, são crimes e dão direito a indenização, vemos muitos destes casos atingindo as mulheres, um deles é o “estupro virtual”, uma situação em que a vítima é rackeada e é então coagida a praticar atos sexuais via web cam. Precisamos alertar o público feminino que estes crimes podem ser solucionados”, alertou.

Edson Petrúcio Júnior, administrador e psicólogo, finalizou o encontro e discorreu sobre o empoderamento. “Empoderar as mulheres em todos os âmbitos sociais, é tarefa de todos, exatamente para que haja o equilíbrio e a verdadeira igualdade entre homens, mulheres e sociedade”, destacou.

Artigo anteriorOAB/AM promove seminário “Direitos e Mulheres”
Próximo artigo“Enquete sobre a implantação das Unidades de Processamento Judicial, pode ser votado no site”