OAB-AM celebra final emocionante do XI Concurso de Direitos Humanos, destacando talento e comprometimento com a justiça

22
(FOTO: Ingrid Anne/OAB-AM)

A Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional do Amazonas (OAB-AM), por meio da Comissão de Aperfeiçoamento Jurídico, promoveu com sucesso, nesta sexta-feira, 26 de abril, a final do XI Concurso de Direitos Humanos. O evento foi marcado por momentos de intensa competição e celebração do conhecimento jurídico.

Na categoria Equipe, a Universidade Federal do Amazonas (UFAM) se destacou, conquistando o primeiro lugar, seguida pela Faculdade Metropolitana de Manaus (Fametro) em segundo lugar e pela Escola Superior Batista do Amazonas (ESBAM) em terceiro. Na categoria Individual, os talentos também brilharam, com Samuel Sagratzky (UFAM) conquistando o primeiro lugar, seguido por Milena Brandão (Fametro) em segundo lugar e Tayla Neves (Fametro) em terceiro.

Um dos momentos mais emocionantes da noite foi a premiação da melhor Oradora da Fase Preliminar, Maria Beatriz, da instituição de ensino La Salle, reconhecendo sua eloquência e habilidade na defesa dos direitos humanos.

Além da competição em si, a presidente da Comissão, Amanda Oliveira, explicou que a edição deste ano prestou uma justa homenagem aos doutores Luís Eduardo dos Santos Valois Coelho, Luciana Santos e Epitácio da Silva Almeida, cujo trabalho e dedicação contribuem significativamente para a promoção e defesa dos direitos fundamentais.

Presidente da OAB-AM, Jean Cleuter, ao centro. (FOTO: Ingrid Anne/OAB-AM)

“O XI Concurso de Direitos Humanos da OAB-AM não apenas ressalta a importância do debate e engajamento no campo dos direitos humanos, mas também destaca o comprometimento das instituições de ensino e dos profissionais do direito com a construção de uma sociedade mais justa e igualitária”, disse o presidente da OAB-AM, Jean Cleuter Mendonça, sobre o evento.

Artigo anteriorExposição de Arte Celebra os 92 Anos da OAB Amazonas
Próximo artigoOAB-AM fortalece a luta contra fraudes em reunião estratégica da Comissão de Combate à Fraude