Young Lawyer vence Global Legal Hackathon 2020

354

A equipe vencedora do Global Legal Hackathon 2020 foi a Young Lawyer. A iniciativa prevê a criação de uma ferramenta para ajudar o advogado ou advogada a conseguir oportunidade de trabalho, sem possuir experiência. O segundo lugar ficou com a Smart Lawyer que utiliza a ciência de dados para facilitar a elaboração de petições e, em terceiro, Woman No Cry, cuja ideia é de elaborar uma plataforma com o objetivo de reportar à Justiça abusos recorrentes contra as mulheres.

A segunda edição do GLH Manaus foi uma iniciativa da Comissão de Direito Digital, Startups e Inovação, em parceria com SebraeLab, Sebrae Amazonas, AB2L, UEA, UFAM, PRODAM, Legal Hacker Manaus, comunidade Innova Law, e Acelera Amazônia.

O GLH é uma maratona global de desenvolvimento que reúne, durante um fim de semana inteiro, diversos profissionais das áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), do Direito, designers, empreendedores, entre outros, que se unem, simultaneamente, em várias cidades do mundo, para trabalhar em ideias que serão pensadas para proporcionar soluções tecnológicas a serem aplicadas na resolução de problemas e na geração de negócios jurídicos, melhorando assim, o acesso à justiça e a resolução de conflitos no Brasil e no mundo. A competição deste ano reuniu cinco equipes e mais de 50 participantes.

Para o presidente da Comissão de Direito Digital, Startups e Inovação da OAB-AM, Aldo Evangelista, a participação de um volume maior de interessados e o apoio de magistrados atuando como mentores confirmaram que a iniciativa de promover a busca por soluções ágeis e eficazes para área jurídica é uma necessidade. “É preciso evangelizar em Inovação Jurídica na região, e com o GLH Manaus, estamos posicionando a capital para o Brasil e para o mundo no segmento de Lawtechs e Inovação Jurídica”, afirmou Aldo ao ressaltar ainda a iniciativa do presidente Marco Aurélio Choy de incentivar ações voltadas ao futuro da Advocacia e do Judiciário.