Manaus Ambiental e OAB-AM discutem melhorias para serviços prestados pela concessionária à população

106

A Manaus Ambiental recebeu na quinta-feira (6), 11 membros da Comissão de Direito do Consumidor (CDC) da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/AM). A visita técnica teve o objetivo de mostrar todo o processo de funcionamento da empresa (interno e externo) e estreitar a relação entre os dois setores, no sentido de proporcionar melhorias aos serviços prestados pela concessionária à população local.
Além de conhecer algumas das principais instalações, os advogados puderam acompanhar a funcionalidade, aplicabilidade e utilidade das Estações de Tratamento de Água (ETAs), que correspondem as áreas da Manaus Ambiental que formam o sistema de abastecimento de água na capital amazonense.

Pela manhã, a comissão percorreu o Complexo de Produção da Ponta do Ismael, no bairro Compensa, zona Oeste, onde localizam-se a ETA 1 e a ETA 2. À tarde, a comissão esteve nas instalações da ETA Mauazinho, na zona Sul.

A Manaus Ambiental possui, ainda, uma média de 41 Centros de Produção de Águas Subterrâneas (CPAs) em operação, além de ser a responsável pela distribuição de água do Complexo Ponta das Lages, situado na zona Leste.

Antes de conhecerem as instalações do complexo da Compensa, a comissão teve uma conversa com a direção e técnicos da empresa, na qual foram abordados desde a legislação que estabelece as diretrizes nacionais para o saneamento básico, ao processo de captação e tratamento que leva água de qualidade às torneiras.

“Nosso trabalho tem começo, meio e fim. Somos os únicos a aplicar flúor no processo de tratamento da água da região, além de possuirmos um centro de controle operacional moderno, que acompanha a funcionalidade do sistema e ajuda a realizar intervenções bem mais rápidas em áreas onde há problemas de vazamento, por exemplo”, destacou o diretor de Regulação e Meio Ambiente da Manaus Ambiental, Arlindo Sales.

Para o presidente da CDC, Marco Salum, a visita foi positiva e serviu para sanar dúvidas sobre as várias demandas que a OAB tem recebido da população.
“A gente sai daqui muito abastecido de informações e felizes pela apresentação feita didaticamente sobre o sistema. Vejo que a Manaus Ambiental está aberta à população, para que tenha os esclarecimentos necessários em relação ao formato de cobrança das taxas, tratamento e qualidade da água”, enumerou.

Propostas
Salum informou também que, a comissão irá produzir um documento e o enviará à Manaus Ambiental o mais breve possível, com propostas para melhorias no sistema de abastecimento e distribuição de água.
“Nós temos algumas situações que podem ser melhoradas, como por exemplo uma data certa para fechamento de fatura, da mesma forma que acontece com o cartão de crédito, além de campanhas de esclarecimentos em relação a mudanças na faixa de consumo e rede de esgotos”, ressaltou.

Artigo anteriorEstatuto da Pessoa com Deficiência completa 2 anos e OAB Amazonas reforça ações sobre o tema
Próximo artigoOAB Amazonas convida advogados para o lançamento do Navegador do Advogado